Papa no Angelus: A Palavra de Deus está sempre no hoje


Papa Francisco no Angelus de 23/01/2022 (Imagem: Vatican Media)
Papa Francisco no Angelus de 23/01/2022 (Imagem: Vatican Media)

Lembremo-nos: a Palavra transforma um dia qualquer no hoje em que Deus nos fala

[Eduardo Honorato Paulo, 23/01/2022 – Redação CatolicaWeb] Neste Domingo, 23 de janeiro Domingo da Palavra de Deus, o Papa Francisco antes da tradicional oração do Angelus, proferiu algumas palavras aos fieis reunidos na Praça de São Pedro no Vaticano. O Santo Padre concentrou sua pregação no Evangelho do dia (Lc 1, 1-4; 4, 14 – 21), onde é narrado o início das pregações do Senhor.

O Pontífice ressalta a importância da pregação e chama a atenção para palavra “Hoje”, dita por Jesus, indicando que a Palavra de Deus é sempre atemporal, sempre atual e sempre Eterna:

Ele vai até Nazaré, onde cresceu, e participa da oração na sinagoga, lendo um trecho do livro do profeta Isaías. E Jesus assim começa: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura”. Os conterrâneos de Jesus ficaram impressionados com a sua palavra, intuem que Nele há “algo a mais”, que é a unção do Espírito Santo. “Às vezes, acontece que as nossas pregações e os nossos ensinamentos permaneçam genéricos, abstratos, não tocam a alma e a vida das pessoas. Por quê? Porque não tem a força deste hoje, aquele que Jesus ‘preenche de sentido’ com a potência do Espírito.”

O Santo Padre também chama a atenção aos pregadores do Evangelho, ensinando que este “Hoje” de Jesus deve ser presente também em suas vidas e no seu dia a dia, para que dessa forma, a força do Espírito Santo também seja real em suas pregações, transformando desta forma, a vida daqueles que escutam:

A pregação corre este risco: “Também muitas homilias – o digo com respeito, mas com dor – são abstratas e ao invés de despertarem a alma, a adormecem”, com os fiéis que começam a olhar o relógio se perguntando: “Quando isso vai terminar?”. Sem a unção do Espírito, se escorrega no moralismo e em conceitos abstratos; se apresenta o Evangelho como distante, como se estivesse fora do tempo, longe da realidade. Mas uma palavra em que não pulsa a força do hoje não é digna de Jesus e não ajuda a vida das pessoas. Por isso, quem prega é o primeiro que deve experimentar o hoje de Jesus, de modo que possa comunica-lo no hoje dos outros.”

Por fim, o Papa Francisco convida a todos os pregadores da Palavra a terem real intimidade com a Palavra de Deus, que pode transformar um dia qualquer, um dia ruim, um dia triste no “Hoje” do Senhor. A Palavra é capaz de levar esperança a qualquer dia, a fazer de todos os dias o Dia do Senhor:

“Lembremo-nos: a Palavra transforma um dia qualquer no hoje em que Deus nos fala” “Nos domingos deste ano litúrgico é proclamado o Evangelho de Lucas, o Evangelho da misericórdia. Por que não lê-lo, mesmo individualmente, um pequeno trecho todos os dias? Vamos nos familiarizar com o Evangelho, nos trará a novidade e a alegria de Deus!”

É a Palavra também que guiará o percurso sinodal que a Igreja há pouco empreendeu… Que Nossa Senhora, nos obtenha a constância para nos nutrir todos os dias do Evangelho.

Anterior Segunda-feira, 24/01/2022
Próximo 25/01 - São Paulo Apóstolo