Papa no Angelus: Jesus quer habitar o estábulo de nosso coração


Papa Francisco no Angelus de 02/01/2022 (Imagem: Vatican Media)
Papa Francisco no Angelus de 02/01/2022 (Imagem: Vatican Media)

Pense no estábulo de Belém. Jesus nasceu ali, naquela pobreza, para lhe dizer que não tem medo de visitar o seu coração

[Eduardo Honorato Paulo, 02/01/2022 – Redação CatolicaWeb] Neste domingo, solenidade da Epifania do Senhor, o Papa Francisco junto com fiéis reunidos na Praça de São Pedro, refletiu sobre o Evangelho de João, antes da recita da oração do Angelus.

O Papa, concentrou sua reflexão em apenas uma frase, “O Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1, 14). Segundo o Pontífice, o Verbo indica a divindade de Jesus, a Palavra eterna de Deus, enquanto a carne a sua fragilidade mortal, sua humanidade querendo ser um de nós:

“o Verbo e a carne”. “Verbo”, “indica que Jesus é a Palavra eterna do Pai, infinita, que existe desde sempre, antes de todas as coisas criadas; e “carne”, por outro lado, indica precisamente nossa realidade criada, frágil, limitada, mortal”.

Após isso o Santo Padre chama a atenção para o paradoxo presente no mesmo texto: Luz e trevas. Afirma que Jesus sendo a luz do mundo, não se intimida com nossas fragilidades humanas:

“Jesus é a luz de Deus que entrou nas trevas do mundo” e que agora com Jesus “luz e trevas se encontram: santidade e culpa, graça e pecado…é a maneira de agir de Deus…Deus não se cansa de nos procurar. Se não estivermos prontos e dispostos a recebê-lo, ele prefere vir de qualquer forma”

Francisco continua dizendo que o Verbo quiz “habitar”, e chama a atenção para esta palavra, afirmando que é a forma de Jesus mostrar o seu amor por nós, querendo estar em nosso meio, fazendo parte da nossa existência e condição:

“Deus deseja se encarnar. Se o seu coração parece muito poluído pelo mal, muito desordenado, não se feche, não tenha medo. Pense no estábulo de Belém. Jesus nasceu ali, naquela pobreza, para lhe dizer que não tem medo de visitar o seu coração, de viver uma vida desordenada. Habitar. Este é o verbo usado hoje no Evangelho: ele expressa uma partilha total, uma grande intimidade. Isto é o que Deus quer”

O Papa Francisco encerra nos ensinando a convidar o Senhor para habitar em nossa vida. Ele quer, é preciso que nós também queiramos. E segue dizendo que não devemos ter medo de pedir isso, de nos sentirmos indignos. O estábulo também não era digno, mas a presença do Menino Jesus ali, santificou aquele lugar. Não será diferente com o estábulo de nosso coração:

“Parando em frente ao presépio, porque ali mostra Jesus vindo habitar na nossa vida concreta, comum, onde as coisas não vão bem, onde há muitos problemas: os pastores trabalhando duro, Herodes que ameaça os inocentes, uma grande pobreza… Mas no meio de tudo isso, há Deus, que quer habitar conosco”…“para entrar em nossa vida, especialmente nas áreas escuras, em nossos ‘estábulos interiores’. E falemos-lhe também sem medo dos problemas sociais e eclesiais de nosso tempo, porque Deus ama habitar entre nós”.

Anterior Terça-feira, 04/01/2022
Próximo 05/01 - São João Nepomuceno Neumann