Papa no Angelus: Um coração governado pelo Rei Jesus


Papa Francisco no Angelus de 21/11/2021 (Imagem: Vatican News)
Papa Francisco no Angelus de 21/11/2021 (Imagem: Vatican News)

Ele não vem para dominar, mas para servir. Ele não vem com os sinais do poder, mas com o poder dos sinais. Não está vestido com insígnias preciosas, mas está despido na cruz

[Eduardo Honorato Paulo, 22/11/2021 – Redação CatolicaWeb]Neste último domingo do Tempo Comum, festa de Cristo Rei do Universo, O Papa Francisco, após celebrar a missa na Capela Vaticana em ocasião da Jornada Diocesana da Juventude, se reuniu com os fiéis na Praça de São Pedro para a recitação da oração Mariana do Angelus.

Na festa em que reconhecemos que Jesus é nosso Rei Universal, o Pontífice nos lembra que foi diante de Pilatos que Ele afirmou ‘Sou Rei”, mas o seu reinado é bem diferente daqueles que existiam na época. O Reino de Deus tem os papeis invertidos em relação ao que é conhecido. Um Rei que serve:

“Ele não vem para dominar, mas para servir. Ele não vem com os sinais do poder, mas com o poder dos sinais. Não está vestido com insígnias preciosas, mas está despido na cruz. Ele não é rei como os outros, mas que é rei para os outros.”

O Papa ainda questiona como vivemos a nossa cristandade. Como servimos? Imitamos ao nosso Deus e Rei que serve no particular e não busca as glórias que Lhe são devidas? Ou servimos buscando as recompensas que não merecemos?

“E nós sabemos como imitá-lo nisto? No que fazemos, em particular no nosso compromisso cristão, contam os aplausos ou o serviço?

O seu reino é libertador, não há nada de opressivo. Ele trata cada discípulo como um amigo, não como um súdito. Portanto, seguindo Jesus, não se perde, mas se ganha dignidade. Porque Cristo não quer ao seu redor servilismo, mas pessoas livres.”

 O Pontífice ainda afirma que o coração que tem Jesus como Rei, não se corrompe. Comete pecados sim, porque todo ser humano está sujeito a isso, mas a presença de Jesus sempre vai orientar este mesmo coração de volta para o bem e a retidão:

“A vida do cristão não é uma recitação em que se possa usar a máscara que é mais conveniente. Porque quando Jesus reina no coração, ele liberta-o da hipocrisia, dos subterfúgios, das duplicidades.”

Certamente todos somos pecadores, reconheceu o Papa. Mas, quando vivemos sob o senhorio de Jesus, não nos tornamos corruptos, falsos, inclinados a encobrir a verdade. Não se leva uma vida dupla.

“Pecadores sim, corruptos jamais!”

Anterior Segunda-feira, 22/11/2021
Próximo 23/11 - São Clemente I