Papa Francisco no Regina Coeli: “Ele sobe ao céu, mas não nos deixa sozinhos.”


Ângelus com Papa Francisco, 29/05/2022

“O Espírito Santo torna Jesus presente em nós, além das barreiras do tempo e do espaço, para nos tornar suas testemunhas no mundo.” 

[Renata Neli, 29/05/2022 – Redação CatolicaWeb] Hoje, na praça São Pedro, nosso Pontífice, antes do Regina Coeli, fez a reflexão sobre o Evangelho de Lucas (24,46-53). É a narração da última aparição de Jesus Ressuscitado ao seus, antes de retornar ao Pai. Mas, antes de ascender ao Pai, Jesus realiza duas ações, que o Santo Padre destaca: anuncia o Dom do Espírito e abençoa os discípulos.

Anuncia o Dom do Espírito 

Jesus ascende ao céu, mas não abandona os seus discípulos, pois, segundo o evangelho “Envio sobre vós o que meu Pai prometeu”, estará com eles e com todos nós em nossas batalhas. O Papa explica que, desta forma, Jesus se torna próximo de todos com seu Espírito: 

“Compreendemos então uma coisa importante: Jesus não está abandonando seus discípulos. Ele sobe ao céu, mas não nos deixa sozinhos. Com efeito, subindo ao Pai, assegura a efusão do Espírito Santo, do seu Espírito. Em outra ocasião ele disse: ‘É bom para você que eu vá, porque, se eu não for, o Paráclito não virá até você’ (Jo 16, 7), ou seja, o Espírito. Nisto também vemos o amor de Jesus por nós: a sua presença que não quer limitar a nossa liberdade. Ao contrário, abre espaço para nós, porque o amor verdadeiro sempre gera uma proximidade que não esmaga, não é possessivo, é próximo, mas não possessivo; de fato, o amor verdadeiro nos torna protagonistas. E assim Cristo assegura: ‘Eu vou para o Pai, e do alto sereis revestidos de poder: enviar-vos-ei o meu próprio Espírito e com a sua força continuareis a minha obra no mundo!’ (cf. Lc 24,49). Por isso, ao subir ao Céu, em vez de ficar perto de poucos com o seu corpo, Jesus faz-se próximo de todos com o seu Espírito. O Espírito Santo torna Jesus presente em nós, além das barreiras do tempo e do espaço, para nos tornar suas testemunhas no mundo” 

Abençoa os discípulos 

O Papa fala que Jesus abençoa os discípulos com o gesto sacerdotal de levantar as mãos. Diz ainda que Jesus, com sua humanidade, sobe ao céu e apresenta a Deus Pai a nossa humanidade, e nos coloca na sua intercessão junto ao Pai, para que sejamos sempre abençoados por Ele. 

“Imediatamente depois – é a segunda ação – Cristo levanta as mãos e abençoa os apóstolos (cf. v. 50). É um gesto sacerdotal. Deus, desde o tempo de Arão, havia confiado aos sacerdotes a tarefa de abençoar o povo (cf. Nm 6,26). O Evangelho quer nos dizer que Jesus é o grande sacerdote da nossa vida. Jesus sobe ao Pai para interceder por nós, para apresentar-lhe a nossa humanidade. Assim, diante dos olhos do Pai, há e sempre haverá, com a humanidade de Jesus, nossas vidas, nossas esperanças, nossas feridas. Por isso, ao fazer o seu ‘êxodo’ para o Céu, Cristo ‘nos conduz’, vai preparar-nos um lugar e, desde já, intercede por nós, para que sejamos sempre acompanhados e abençoados pelo Pai.” 

O Pontífice questiona se nós, que recebemos o dom do Espirito, somos capazes de amar dando liberdade e espaço, ou se usamos as pessoas. E, também, se sabemos ser intercessores uns pelos outros e abençoar quem encontramos pelo caminho:

Irmãos e irmãs, pensemos hoje no dom do Espírito que recebemos de Jesus para sermos testemunhas do Evangelho. Perguntemo-nos se realmente somos; e mesmo que sejamos capazes de amar os outros deixando-os livres e abrindo espaço para eles. E depois: sabemos ser intercessores pelos outros, ou seja, sabemos orar por eles e abençoar suas vidas? Ou usamos os outros para nossos próprios interesses? Aprendamos isto: oração intercessória, interceda pelas esperanças e sofrimentos do mundo, interceda pela paz. E abençoemos com nossos olhos e com palavras aqueles que encontramos todos os dias!  

Agora rezemos a Nossa Senhora, a bem-aventurada entre as mulheres que, cheia do Espírito Santo, sempre reza e intercede por nós.” 

Depois do Regina Coeli 

Depois da oração do Regina Coeli, o Papa nos lembra o Dia Mundial da Comunicação, cujo tema é “ouvir com o ouvido do coração”: nos convida a buscar esta capacidade de ouvir com ouvidos e com o coração, pois é o primeiro ato de caridade. Também nos recorda do do Dia Nacional do Socorro, alertando que devemos dar mais importância ao doente que à sua doença. 

“Hoje celebra-se o Dia Mundial das Comunicações, sob o tema ‘Ouvir com o ouvido do coração’. Saber ouvir, além do primeiro ato de caridade, é também o primeiro ingrediente indispensável do diálogo e da boa comunicação. Saber ouvir, deixar que os outros digam tudo, não cortar ao meio, saber ouvir com os ouvidos e com o coração. Desejo que todos cresçam nesta capacidade de ouvir com o coração.

Hoje na Itália é o Dia Nacional do Socorro. Recordemos que ‘o doente é sempre mais importante do que a sua doença’ e que ‘mesmo quando não é possível curar, é sempre possível curar, é sempre possível consolar, é sempre possível fazer sentir proximidade’ (Mensagem para o Dia Mundial do Doente 2022). 

Por fim, o Santo Padre saúda a todos os presentes e anuncia que, em agosto, a Igreja terá novos cardeais. Nos convida a nos unir para rezar o Rosário pela Paz, em conexão com os santuários da Rainha da Paz espalhados pelo mundo: 

“Último dia do mês de maio, festa litúrgica da Visitação da Bem-Aventurada Virgem Maria, às 18h00, na Basílica de Santa Maria la Mayor rezaremos o Rosário pela paz, em conexão com numerosos Santuários em muitos países. Convido os fiéis, as famílias e as comunidades a unirem-se a esta invocação, para obter de Deus, por intercessão da Rainha da Paz, o dom que o mundo espera.. 

Rezemos pelos novos Cardeais, que, confirmando sua adesão a Cristo, eles possam me ajudar no meu ministério como Bispo de Roma para o bem de todos os fiéis Santos de Deus.

Anterior Domingo, 29/05/2022
Próximo 31/05 - Visitação de Nossa Senhora