Mês de Maio, com M de Maria, de Mãe, de Mulher

[Renata Neli, 24/05/2021 – Redação CatolicaWeb] Nossa Senhora, Maria, mãe, mulher de mil rostos e títulos, mas um único que é o que deu todo o sentido a humanidade: Maria mãe de Jesus. Filha amada e escolhida por Deus, e Mãe de Deus, quando Ele se fez humano.

E esta Mulher, que ainda jovem, deu o seu sim a Vida, e a nossa vida também, mesmo com medo e incertezas, confiou nas Palavras de Deus, e aceitou a maternidade. A maternidade não é uma tarefa fácil, não foi para a Mãe de Jesus, e não é para nenhuma mãe, mas todas recebem o Dom de Deus, que de forma incrível e inimaginável, tem a força de um exército, e a doçura do mel.

Jesus quando chama sua Mãe de “mulher”, Ele não está falando como Filho e sim como Pai, mas diante da doçura de Maria, Ele cede, e nas Bodas de Canaã, transforma a água em vinho, quantas vezes já escutamos a frase: “Nada do que pedires a Mãe será negado pelo Filho”, e cremos nesta doce intercessão de Nossa Mãe do céu, que diante de Seu Filho Amado na cruz, recebeu toda a humanidade em adoção, somos filhos do coração de Maria.

Normalmente, um filho não chama sua mãe pelo nome próprio, somente de mãe, quantas vezes em meio a uma multidão, não se escuta um: “mãe”, e mesmo não sendo a voz do próprio filho, todas olham, é o instinto que fala mais forte. Assim Nossa Senhora nos escuta, não importando em qual título a chamamos.

Nossa Senhora é uma mulher de centenas de títulos, pois em cada momento de grandes dificuldades, em todos os cantos do mundo, ela como uma Mãe veio passar uma mensagem, ou nos defender.

Aquela que nos socorre, nos ampara, nos consola, nos auxilia, nos ajuda, nos alivia, aquela que é de Fátima, da Penha, de Aparecida, do Carmo, da Glória, da Graça, de Lourdes, das Mercês, que nos anuncia e nos apresenta o Salvador e na sua Assunção, se colocou ao lado de Teu Filho e intercede por nós.

O instinto materno não é exclusivo daquelas que geraram, mas daquelas que vivem a maternidade, que acolhem com o coração, que se permitem amar e serem amadas pelos presentes dados por Deus.

Assim Nossa Senhora é exemplo e inspiração para muitas mulheres, Ela chorou, sofreu, viveu a maternidade na mais profunda e ampla intensidade da palavra, e foi esta herança que Ela deixou a todas.

Temos na letra da música: “Em cada mulher que a terra criou. Um traço de Deus, Maria deixou.” (Maria de Nazaré – Pe.Zezinho). E acredito realmente nestas palavras, pois somente com uma proteção e inspiração Divina é possível, amar, cuidar, educar, defender e ainda sorrir.

E assim, encontramos em nosso dia a dia, muitas Maria’s, Fatima’s, Auxiliadora’s, Penha’s, e tantos outros nomes que ficam em segundo plano, quando o principal é Mãe, são mulheres que aceitaram o desafio da maternidade, e lutam diariamente para cuidar de seus filhos, de sua família, e que são capazes de qualquer sacrifício pelos seus, se tiverem que caminhar descalças para que seus filhos tenham os pés protegidos, assim o farão.

E nesta certeza, de que todas as mães recebem uma intercessão especial, e que seus pedidos vão direto ao coração de Nossa Senhora, e assim, chegam aos ouvidos de Jesus, como um pedido de Mãe, e nós como filhos, pedimos a Deus uma benção por todas elas, mulheres guerreiras que merecem a felicidade e a permanência de um sorriso no rosto, que possamos reconhecer todo o esforço e sacrifício delas, e sempre que possível dar um sonoro eu te amo.

Que Deus abençoe a todas elas, e a todos nós, e que o amor seja sempre o laço de união.

Anterior 9º dia: Oh, Auxiliadora, ensinai-nos a perseverar
Próximo 30/05/2021 - Solenidade da Santíssima Trindade