Episódio 10: O compromisso do cristão católico é sempre com a Verdade.

A velocidade com que as informações chegam até nós vem aumentando exponencialmente graças aos avanços tecnológicos da internet, computadores e redes de dados móveis. Contudo, nosso consumo de informações não acompanha esta velocidade, basta observar que temos a opção de salvar um link ou um vídeo para ler ou assistir mais tarde.

Existe uma diferença brusca entre o que chega até nós e o que absorvemos. Num passado não muito distante, para ficarmos informados ou acessar conteúdos confiáveis, recorríamos a fontes que possuíam algum prestígio e reputação que garantia a veracidade da informação que era difundida. Como essa busca ou acesso era mais lento, nós consumíamos a notícia de modo ativo, isto é, pensávamos sobre o que estava sendo observado e fazíamos conexões com outros dados e, por fim, tirávamos nossas conclusões sobre o assunto abordado.

Também vale ressaltar que informações baseadas em opiniões pessoais são divulgadas desde sempre, talvez hoje com a facilidade que a internet nos trouxe isto seja mais notório, porém existem fontes confiáveis que utilizam a internet e transmitem a imparcialidade que uma notícia deve possuir para que o público possa refletir e concluir o que quiser.

Para exemplificar isto, imagine que um dado é um alimento e que consumir este dado é ingerir este alimento e, sabemos que existe todo um processo para a digestão e absorção deste alimento. Nosso corpo é tão sábio, que ele separa cada elemento do alimento e o distribui para cada parte do corpo responsável pelo aproveitamento do que foi consumido.

Não sou médico e nem biólogo para descrever tais processos e como o corpo faz isso, mas vamos tomar como exemplo um alimento que possui muita gordura. Se consumirmos de maneira adequada este alimento e poucas vezes no mês, ele não nos fará mal, entretanto se consumirmos diariamente, com certeza, teremos um problema com colesterol e nosso organismo vai nos dar sinais de que estamos com taxas elevadas de colesterol ruim.

Mais do que isto, se consumirmos muito este alimento em um único dia, nosso corpo sequer terá tempo de digerir, distribuir e eliminar os resíduos e, com certeza, vamos passar mal porque sobrecarregamos nossos órgãos e não respeitamos os limites físicos do nosso organismo e tão pouco a necessidade que temos de nos alimentar.

Vejo que uma informação isolada não é boa ou ruim assim como um alimento que contém gordura não é prejudicial à saúde desde que seja consumido de maneira correta. Da mesma maneira que meu organismo precisa de um tempo para efetuar a digestão do que foi consumido, minha mente precisa de um tempo para pensar sobre as informações que chegam até mim.

Se apenas vou consumindo informações sem pensar sobre, vou facilmente me tornar alienado e desenvolver o perigoso senso comum sobre o que foi transmitido e tivemos um exemplo histórico sobre o quão mal uma informação repetidamente difundida pode fazer numa sociedade. O período do nazismo foi terrível na história da humanidade e o desenvolvimento do senso comum da raça ariana, xenofobia, racismo, intolerância religiosa foi amplamente difundido ao ponto de mobilizar um país inteiro e gerar uma guerra de proporção mundial.

Isso porque estou falando de um período em que não havia internet e tão pouco redes sociais.

Se não pensamos sobre as informações que chegam até nós, somos facilmente engolidos pelo senso comum e vamos apenas ditar regras que são opostas ao bom senso e o bem comum.

Uma vez engolido por esse mar de informações, perdemos o filtro que nos diz se uma informação é boa ou ruim, pois não damos conta de digerir, isto é, refletir sobre o assunto e apenas vamos impor aos outros pseudoverdades ao ponto de brigarmos e cortar laços com quem pensa diferente.

E aqui chegamos ao ponto que gostaria de expor, se eu transmito notícias que não possuem confiabilidade e veracidade, eu estou fazendo um desserviço para a sociedade de maneira geral. Podemos dizer que é o mesmo que dizer uma mentira ou jurar falso testemunho, pois disseminar inverdades é tão perigoso que pode gerar pânico, intolerância, medo, desordem, brigas e tantos outros males.

Como se não bastasse estes problemas que citei, ainda há um outro problema que é a dominação que isto impõe sobre as pessoas, principalmente as que são menos instruídas, pois na simplicidade destas pessoas, acabam acreditando nestas inverdades porque foram ditas com tamanha malícia e muito bem disfarçadas que dificilmente vamos duvidar do que foi dito.

Infelizmente isto é mais comum do que imaginamos. Basta ver quantas “fake news” estão sendo disseminadas nos diversos meios de comunicação. No que diz respeito a nós católicos, não podemos em hipótese alguma divulgar mentiras e muito menos usar o nome de Deus para isto!

Não devemos compactuar com quem mente descaradamente e provoca ondas de pânico, medo, desinformação, pois isto gera mortes e sofrimento, principalmente dos mais simples e fragilizados de nossa sociedade!

“Jesus chamou uma criancinha, colocou-a no meio deles e disse: “Em verdade vos declaro: se não vos transformardes e vos tornardes como criancinhas, não entrareis no Reino dos Céus. Aquele que se fizer humilde como esta criança será maior no Reino dos Céus. E o que recebe em meu nome a um menino como este, é a mim que recebe. Mas, se alguém fizer cair em pecado um destes pequenos que creem em mim, melhor fora que lhe atassem ao pescoço a mó de um moinho e o lançassem no fundo do mar. Ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas ai do homem que os causa! Por isso, se tua mão ou teu pé te fazem cair em pecado, corta-os e lança-os longe de ti: é melhor para ti entrares na vida coxo ou manco que, tendo dois pés e duas mãos, seres lançado no fogo eterno.” (Mateus 18, 2 – 8)

Deste modo, meu dever como católico é dizer sempre a verdade e me calar quando não ter propriedade para falar sobre um assunto, pois apenas estaria dizendo verdades pessoais e não fatos concretos e estaria provocando escândalos e o próprio Mestre nos adverte severamente sobre este proceder!

Que eu tenha compromisso sempre com a Verdade, pois Ela nos liberta de toda dominação causada pela mentira. Que eu possa transmitir a Verdade com a finalidade de trazer Luz sobre os escândalos e assim poder me aproximar sem medo do Reino de Deus. Que nossa sociedade confie em Deus, pois Ele cuida de nós. Que eu não me apegue a verdades pessoais e subjetivas. Que pela ação do Divino Espírito Santo eu possa discernir o que é bom e o que é mal e possa de maneira responsável levar mais pessoas a discernir e decidir-se pelo bem.

De um católico qualquer,
Gabriel Bondioli Piterutti


A foto que escolhi: Que a Tua Palavra me guie para a Verdade.
Anterior 30/06 - Santos Protomártires da Igreja romana
Próximo 02/07 - São Bernardino Realino